Ovo como fonte de proteína de excelência

slide
  • Porções : 4 Porções
  • Tempo de confeção : 20 min.
Ver Vídeo
Misericórdia: Borba
Família: Rato

Açorda de Poejos

Ingredientes

  • 1,5 L de água
  • 1 molho de poejos (40 g)
  • 2 dentes de alho, picados
  • 4 fatias de pão duro
  • 4 colheres de sopa de azeite
  • 4 ovos
  • Opcional: 0,5g (cerca de um quarto de colher de café) de sal

Informação nutricional
(por porção):

Energia
356 kcal
(18% DR*)
Proteína
19,5 g
(24% DR)
Hidratos de carbono
51,5 g
(17% DR)
Lípidos
5,3 g
(20% DR)
Lípidos dos quais saturados
2,6 g
(13% DR)
Sódio
524 mg
(26% DR)
Fonte de fósforo, niacina, vitamina B6, vitamina B12, folato, vitamina E, riboflavina, vitamina D, ferro, potássio e tiamina.
*DR – Dose de Referência     [+]

Modo de preparação

  • Leve a água a fervura e coza os ovos durante 10 minutos. Descasque os ovos e reserve.

  • Num almofariz, esmague os alhos juntamente com o azeite, os poejos e o sal.

  • Coloque a mistura aromática dos poejos numa tigela larga, junte água previamente fervida e envolva bem. Coloque num prato de sopa as fatias de pão cortadas, os ovos descascados e junte o caldo aromático.

Curiosidade Nutricional

Ovo como fonte de proteína de excelência

Na cozinha tradicional alentejana existem alguns pratos nos quais não estão presentes nem carne nem peixe. É o caso da açorda à alentejana, entre outros, em que se recorre apenas a um ingrediente de origem animal: os ovos. Os ovos constituem um alimento com um elevado valor nutricional, constituindo uma fonte proteica de excelência e apresentando também riqueza em vitaminas e minerais – vitaminas do complexo B (B2, B6 e B12), vitaminas A, D e K, fósforo, iodo, magnésio, zinco, selénio e ferro.

Saber Mais

Condicionada pela escassez de meios, a gastronomia alentejana é paradoxalmente rica e variada. Da conjugação destas formas diferenciadas de recursos naturais resulta uma gastronomia única, marcada pela constante presença dos tradicionais temperos alentejanos, como os coentros, os poejos, os orégãos, a hortelã, o alho, o pimentão, a salsa e o louro, além de outros alimentos regionais, como o pão e o azeite. A receita partilhada pela família Rato consegue captar a essência e a simplicidade da gastronomia alentejana, distinguindo-se pelo paladar rico dos poejos. Esta erva aromática apresenta um aroma e sabor refrescantes semelhante aos da hortelã-pimenta, que permitem minimizar a adição de sal. Na ausência dos poejos, poderão ser adicionados coentros ou hortelã.

Na cozinha tradicional alentejana existem alguns pratos nos quais não estão presentes nem carne nem peixe. É o caso da açorda à alentejana, das sopas de tomate, entre outras, em que se recorre, por vezes, apenas a um ingrediente de origem animal: os ovos.

Os ovos correspondem a uma fonte proteica alternativa à carne e ao pescado, com a vantagem de serem mais económicos e sustentáveis. Constituem um alimento com um elevado valor nutricional, uma fonte proteica de excelência na nossa alimentação, sendo fornecedores de proteínas completas – fornecem todos os aminoácidos essenciais. Apresentam também riqueza em vitaminas e minerais – vitaminas do complexo B (B2, B6 e B12), vitaminas A, D e K, fósforo, iodo, magnésio, zinco, selénio e ferro. Possuem igualmente grandes quantidades de luteína e zeaxantina (diretamente proporcionais à cor da gema).

  • Bibliografia:
  • - Associação para o Estudo e Promoção das Artes Culinárias As Idades dos Sabores. Receitas e Sabores dos Territórios Rurais. Lisboa: MINHA TERRA - Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local; 2013.
  • - Carvalho P, Teixeira VH. 50 Super Alimentos Portugueses (mais 10!). 1ª ed. Lisboa: Matéria-Prima Edições; 2012.
  • - Gregório MJ, Santos MCT, Ferreira S, Graça P. Alimentação Inteligente - coma melhor, poupe mais. 1ª ed. Lisboa: Direção-Geral da Saúde; 2012.
Logo