Alho como super-alimento

slide
  • Porções : 6 Porções
  • Tempo de confeção : 60 min.
Ver Vídeo
Misericórdia: Soure
Família: Alexandra Dias

Arroz de Polvo

Ingredientes

  • 1 polvo médio
  • 2 cebolas
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 2 dentes alho
  • 300 g tomate maduro, cortado aos pedaços
  • 350 g arroz carolino
  • água q.b
  • pimenta q.b
  • coentros q.b

Informação nutricional
(por porção):

Energia
316 kcal
(16 % DR*)
Proteína
17,8 g
(36 % DR)
Hidratos de carbono
51,4 g
(20 % DR)
Lípidos
3,7 g
(5 % DR)
Lípidos dos quais saturados
0,6 g
(3 % DR)
Sódio
247 mg
(12 % DR)
Fonte de niacina, vitamina B12, fósforo, potássio, folato, zinco, vitamina B6 e magnésio.
*DR – Dose de Referência     [+]

Modo de preparação

  • Coza o polvo em água a ferver durante 30 minutos, até estar tenro. Retire e reserve o polvo e a água de cozimento.

  • Coloque o azeite, a cebola, os alhos, o tomate a refogar em lume brando durante 5 minutos. Junte o polvo cortado aos pedaços, um pouco de água de cozedura e tempere com pimenta moída na hora; deixe cozer mais 7 minutos para o tomate reduzir e o polvo absorver os aromas. Adicione o arroz e a restante água da cozedura do polvo. Deixe o arroz cozer cerca de 16 a 18 minutos. Retire do lume, envolva com os coentros frescos picados, e sirva.

Curiosidade Nutricional

Alho como super-alimento

O alho, alimento muito popular na cozinha tradicional portuguesa, permite acentuar o sabor dos pratos, possibilitando a diminuição da adição de sal. Embora seja utilizado em pequena quantidade, o alho é um alimento rico em vitamina C, B1 e B6, fósforo, cálcio e cobre, contendo também alguns compostos que parecem demonstrar potencial na prevenção de doenças. O consumo do alho em cru, a adição a marinadas, açordas ou hortícolas cozidos e até barrado em pão com azeite são formas de consumo apelativas ao paladar e à saúde.

Saber Mais

O alho, alimento muito popular na cozinha tradicional portuguesa, é frequentemente utilizado para condimentar refogados, mas também no tempero de carne, peixe, hortícolas cozidos e na preparação de arroz, feijão e sopas.

A presença de essências aromáticas no alho acentua o sabor dos pratos, permitindo a diminuição da adição de sal. No entanto, o alho deve ser usado em quantidade suficiente, para potenciar o sabor no prato, sendo que se deve evitar a fritura do alho, procedimento típico dos refogados tradicionais.

Embora seja utilizado em pequena quantidade, o alho é um alimento rico em vitamina C, B1 e B6, fósforo, cálcio e cobre. Também contém alicina, composto organossulfurado que parece demonstrar um grande potencial na prevenção de doenças. Contém também outros compostos fitoquímicos como o disulfureto de dialilo e o isotiocianato de alilo.

Por vezes, o método de confeção do alho pode eliminar os compostos fitoquímicos presentes neste alimento. As altas temperaturas atingidas durante o refogado, aquando da fritura do alho no azeite, podem destruir alguns dos compostos organossulfurados. Assim, o seu consumo em cru, a adição a marinadas, açordas ou hortícolas cozidos, ou até barrá-lo em pão com azeite serão formas de consumo mais apelativas ao paladar e à saúde.

Um dos alimentos que também é destacado nesta receita é o polvo, que constitui uma fonte proteica (22,7 g de proteína por 100 g de polvo cozido) de grande densidade nutricional, e com quantidades consideráveis de vitamina B6 e B12, ferro, zinco, cobre e selénio.

  • Bibliografia:
  • - Carvalho P, Teixeira VH. 50 Super Alimentos Portugueses (mais 10!). 1ª ed. Lisboa: Matéria-Prima Edições; 2012.
  • - Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. Tabela da Composição de Alimentos. Lisboa. 2007.
  • - Lopes A, Teixeira D, Calhau C, Pestana D, Padrão P, Graça P. Ervas aromáticas – Uma estratégia para a redução do sal na alimentação dos Portugueses. Lisboa: Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, Direção-Geral da Saúde; 2014.
Logo