A importância da água na culinária

slide
  • Porções : 4 Porções
  • Tempo de confeção : 30 min.
Ver Vídeo
Misericórdia: Ílhavo
Família: Barreto

Arroz de Tamboril com Gambas

Ingredientes

  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 folha de louro
  • 2 tomates maduros
  • 150 mL vinho branco
  • 400 g tamboril
  • 250 g arroz
  • água q.b.
  • 4 gambas
  • ½ molho de salsa
  • Opcional: 0,5g (cerca de um quarto de colher de café) de sal

Informação nutricional
(por porção):

Energia
390 kcal
(20 % DR*)
Proteína
25,2 g
(50 % DR)
Hidratos de carbono
54,8 g
(21 % DR)
Lípidos
4,3 g
(6 % DR)
Lípidos dos quais saturados
0,6 g
(3 % DR)
Sódio
217 mg
(11 % DR)
Fonte de niacina, fósforo, potássio, vitamina B12, folato, vitamina B6, vitamina C, magnésio, zinco e ferro.
*DR – Dose de Referência     [+]

Modo de preparação

  • Refogue a cebola e o alho picados juntamente com o tomate, o louro, o azeite e o vinho branco. Assim que o tomate reduzir, junte o peixe e, assim que estiver cozido, retire-o e reserve. Adicione a água e o arroz, e deixe cozer durante cerca de 15 minutos, até “ficar entalado”. Volte a colocar o tamboril, adicione as gambas e deixe cozer mais 2 minutos.

  • Antes de servir, polvilhe com a salsa picada e sirva.

Curiosidade Nutricional

A importância da água na culinária

O método de confeção utilizado nesta receita é o estufado, rico em termos de sabor, aroma e cor, e nutricionalmente interessante, uma vez que a água de cozedura é consumida, aproveitando-se assim os nutrimentos que foram libertados dos alimentos. Esta preparação culinária também poderá constituir uma fonte de água, nutrimento fundamental na promoção da saúde.

Saber Mais

A tradição piscatória oferece à região de Ílhavo a riqueza da variedade do pescado, que é integrado na gastronomia local em caldeiradas e sopas de peixe, ensopados e em pratos de arroz, como o arroz de tamboril.

O método de confeção utilizado nesta receita é o estufado que, quando confecionado de forma adequada, pode ser um método de confeção saudável. É potencialmente um método culinário rico em termos de sabor, aroma e cor, pois os ingredientes singulares adicionados cozem lentamente a baixas temperaturas num caldo rico que funde todos os sabores. São exemplos deste método culinário as caldeiradas e os ensopados.

Este método culinário é nutricionalmente interessante, uma vez que a água de cozedura é consumida, mantendo assim todos os nutrimentos que foram libertados. Esta preparação culinária também poderá ser uma fonte de água, permite a diminuição da densidade energética da receita e também contribui para o aumento da saciedade.

O consumo de água é fundamental para promover uma alimentação saudável. Enquanto nutrimento, apresenta um papel ativo em todos os sistemas e órgãos, com influência no bem-estar e saúde: transporte de nutrimentos e excreção dos resíduos desnecessários através da urina; regulação da temperatura corporal; otimização do desempenho físico; melhoria do funcionamento cognitivo e estado de humor; maximização da atenção, memória e concentração; prevenção da obstipação, entre outros.

O valor de referência para a ingestão de água proveniente de bebidas recomendado a adolescentes e adultos portugueses é de 1,5 e 1,9 litros por dia, para mulheres e homens respetivamente.

Leite e iogurtes, fruta e sumos de fruta, hortícolas e preparados culinários como a sopa também poderão constituir interessantes fontes de água. Salienta-se também nesta receita, para além do método culinário, a utilização de pescado, como fonte proteica. A ingestão moderada e regular de peixe contribui para a adequação da ingestão de micronutrimentos como a vitamina D, iodo e zinco, e encontra-se associada à prevenção de doenças cardiovasculares e a uma melhoria da função cognitiva, muito provavelmente devido ao teor de ácidos gordos polinsaturados da série ómega 3. Segundo as recomendações europeias para a prevenção de doenças cardiovasculares, é sugerida a ingestão de peixe com uma frequência igual ou superior a duas vezes por semana.

  • Bibliografia:
  • - Gregório MJ, Santos MCT, Ferreira S, Graça P. Alimentação Inteligente - coma melhor, poupe mais. 1ª ed. Lisboa: Direção-Geral da Saúde; 2012.
  • - Padrão P, Teixeira PJ, Padez C, Medina, JL. Estabelecimento de recomendações de ingestão hídrica para os portugueses. Semana médica 2012; 655, 1-4.
  • - Perk J, De Backer G, Gohlke H, et al. European Guidelines on cardiovascular disease prevention in clinical practice (version 2012). The Fifth Joint Task Force of the European Society of Cardiology and Other Societies on Cardiovascular Disease Prevention in Clinical Practice (constituted by representatives of nine societies and by invited experts). Eur Heart J 2012;33:1635-701.
  • - Pinho I, Rodrigues S, Franchini B, Graça P. Padrão Alimentar Mediterrânico: Promotor de saúde. Lisboa: Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, Direção-Geral da Saúde; 2016.
Logo